Crónicas Matinais

[ quinta-feira, abril 24, 2003 ]

 

Bom dia!
Estou nervosa por via do meu Porto.

Não que, qual sibila, preveja catástrofes, não!
Mas porque não estou muito habituada a que todos elogiem o clube do meu coração- o F.C.Porto- como acontece esta época.

Ainda me lembro de um famoso criminoso nacional, dizer na TV que o F.C.P. era, apenas, um pequeno clube de bairro, um pequeno clube regional...
E lembro-me, muito bem, como os supostos 6 milhões de acólitos dele, e mais os 3,5 milhões de lagartos, e mais os outros milhões todos de outros clubes, se riram muito com a gracinha e acharem que sim; que era mesmo isso!
( Não sei se reparam que, acreditando nesses números, a população portuguesa deve , afinal, ser de uns 20 milhões ...)

Eu gosto da bola. Não é porque sou rapariga, e porque pareço de facto rapariga, i.e., não tenho bigode, nem ar de camionista, que vou dizer que não gosto da bola.
Gosto muito! Aliás, quem me quer ver feliz, é olhar para mim em plenas Antas , toda bicolor e cheia de apetrechos a condizer, a torcer pela minha paixão! Isso e a ouvir relatos. Papo-os todos; todinhos! E adoro.

A ideia de que o futebol é uma perda de tempo, um espectáculo pouco intelectual é errada! É uma perfeita mentira.
Eu não me ralo nada de estar a ler um tratado hiper-super-mega intelectual e, depois, ir ver a bola!
Só quem nunca viu um jogo de futebol , à séria, não percebe a magia, a poesia, a metafísica desse desporto!

Todas as pessoas que admiram a beleza, a inteligência e a arte deviam ver um bom jogo de futebol.
Porque num bom jogo de futebol é uma coisa sublime! É a humanidade elevada a uma máxima potência; isto se pensarmos no Pelé,no Romário, No Ronaldo, no Eusébio, no Maradona, no Platini, no Jardel, no Figo, no Rui Costa, No Sérgio Conceição e...no Domingos , no Capucho ( estes dois sei que podem não concordar, mas eu adoro aqueles rapazes!), no Baía, e claro! no mágico Zidane!

São uns senhores, carago! Uns senhores!

E não é porque eu leio desde os 4 anos, que devoro literatura, jornais, revistas e pratos de nouvelle cuisine , que vou renegar a beleza que encontro na bola.
É um prazer físico e ver o meu Porto a marcar golos, uns atrás dos outros, dá-me tanto gozo como 15 sessões de sexo tântrico , ou quando me encontram o ponto G...

Enfim. Estou nervosa; com nervoso miudinho...porque a conjuntura hoje é de tal forma magnífica que me sinto em festa. Nunca como hoje me senti tão mal por ser imigra e emigra...porque se pudesse, estava mas é ao lado dos meus, como a Elisa Ferreira, e o resto eram cantigas...

E depois até era mulher para, se não pudesse estar com eles, ir ao Aeroporto buscá-los, às tantas da matina, e beijá-los a todos na boca, com língua e tudo ( incluindo o Pinto da Costa), e sem ter medo de pneumonias, atípicas ou outras!

Sinto-me eléctrica! Cheia de esperança e de alegria...e raios me partam se não passar o dia com a minha camisola do F.C.P. , que até tem o meu nome, e o mítico número 10 ,e que me foi oferecida pelo meu clube!

Temo , por outro lado, que hoje, enquanto estiver a entrevistar uns senhores que me calharam em sorte na agenda diária, a meio das entrevistas me levante e comece a gritar goloooooooooooooooo, ou então a fazer uma onda humana...
Mas, se tal acontecer, também não há-de ser nada...amanhã volto a vestir os meus fatinhos Chanel , a calçar os sapatinhos Prada, e a fazer os meus discursos muito ponderados e supostamente inteligentes e assim...

Viva o Porto! E boa sorte para os manos axadrezados...que isso é que eu gostava de os comer de cebolada na final! hihi



Ana [4/24/2003 10:33:00 da manhã]