Crónicas Matinais

[ segunda-feira, junho 30, 2003 ]

 

Bom dia!

Este fim-de-semana fui a "Pirineus-de-cima" entrevistar um senhor que afirma estar em contacto-permanente- com extraterrestres.
Às vezes canso-me de falar sempre com as mesmas pessoas e, quando não tenho trabalho de campo, fora do país, ofereço-me para estas estuchas.
De maneira que lá fui eu- um calor de morrer e centenas e centenas de km a percorrer- toda confiante e assim...
Cheguei lá feita num oito, claro, mas ainda fui conhecer a figura antes que o senhor se recolhesse. Ele falou-me logo dos seus muitos relacionamentos com seres de outros mundos, e eu esfreguei as mãos de contente porque o Domingo-o dia seguinte- prometia.
Só que, no pardieiro em que nos abrigamos, eu e as minhas colegas, havia uma espécie de televisão e nós, à falta de rede para usarmos os telefones de bolso, vimos um bocadito de televisão.
Ao Sábado à noite, há um programa na France2, o " Tout Le Monde En Parle", do Thierry Ardison ( julgo que o podem ver em Portugal, por cabo, na TV5 ). A esse programa vai...toda agente! De grandes a pequenas cabeças; de gente gira a gente feia.
Caem lá todos que nem tordos. Portanto, estava eu a pensar em extraterrestres quando me aparece lá nesse programa o Moby.
Eu devo dizer que, por muito que odeie-e odeio-música e gente pimba, sempre que vejo esse tal de Moby, apetece-me inscrever-me num clube de fãs do Eminem.
O Moby foi lá promover um concerto que vem cá fazer a Paris e, mais uma vez, dizer mal do George W.Bush. Isto já se sabe que, se um americano disser mal, em França, do Bush, e das coisas made in America em geral, torna-se heroi nacional.
Esse pedacinho de asno que é o Moby, até explicou que já aprendeu a dizer " Bush é um idiota" em quinze línguas diferentes; e que sente que a sua missão é, também, pedir desculpa ao mundo , não só pelo presidente americano, mas pelas asneiras da América em geral.
E, nesse programa, levantou-se, e com a mão sobre o coração pediu desculpa aos franceses ! Muito aplauso , claro!
Eu, confesso, fiquei irritada . Não que pense que o presidente Bush seja um Einstein, que não acho. Mas se fosse americana NUNCA faria estas figuras tristes , ainda por cima num país que ainda se julga líder do mundo civilizado e que mais mal diz de tudo o que vem da América. Tudo.
Repensei a minha opinião sobre o senhor dos extraterrestres e penso, agora , que ele é que a sabe toda!
Pois se o senhor até me disse que não gostava de ser francês e, por ele, já estava mas é a viver noutro planeta. Abençoado!
Antes verde e com antenas, do que pequenino, com cara de parvo, a fazer ruídos electrónicos e a ser aplaudido por franceses idiotas que se babam de cada vez que apanham um americano mais estúpido do que eles!
Quem tem razão é o meu apalavrado, que diz que o Moby devia era aproveitar estar em Paris e imolar-se! ...

Também ando um bocadito preocupada com outro assunto.
Li hoje, no Diário Digital, que segundo um estudo britânico, anunciado esta segunda-feira pela BBC, falar chinês implica um maior uso e esforço por parte do cérebro do que falar inglês. Os estudiosos chegaram à conclusão que os falantes de chinês usam ambos os lados do cérebro , enquanto que os de inglês só utilizam o lado esquerdo!
Eu , por via de ter vivido na China uns tempos valentes, e, por isso, falar "chinês" e porque fui educada em estrangeiro, concretamente em inglês...estou confusa! Como falo as duas coisas...como é? Quantos lados dos cérebro uso, hã? E quando vivia em Hong-Kong e falava as duas coisas em simultâneo ?
E quantos lados do cérebro usará quem fala outra coisa qualquer? E como é que as pessoas sem cérebro- como o Moby e a maioria dos franceses- conseguem falar?

São tudo coisas que me preocupam...


Ana [6/30/2003 02:55:00 da tarde]