Crónicas Matinais

[ sexta-feira, junho 27, 2003 ]

 

Como deve acontecer à maioria dos bloguistas, são vários os e-mails que a malta recebe a propósito do bloganço.
Entre uns dez simpáticos, lá aparece um mais antipático. Eu, esta manhã, recebi o e-mail antipático da semana. É a vida; toca a todos.
Maria do Carmo Pereira ( MCP) , diz-me , no e-mail, que não tem pachorra para o meu blog. [ Pois, minha cara, às vezes nem eu.]
Diz também que a irrita a minha mania de achar que tenho graça - que MCP garante que não tenho; que me limito a copiar imagens ; e que os poemas que transcrevo são medíocres.
Acrescenta a MCP, que me pede-e eu respeito- para não mencionar o seu blog, que eu sou tão fraquinha e corporativista , que só tenho ligaç?es a blogs de amigos doPastilhas, e a blogs de jornalistas e/ou escritores.
Para justificar a sua crítica, aponta-me o facto de eu não incluir , aqui no blog, estes blogs:
este , este e este.
E acaba chamando-me intelectual da treta. Resumidamente é isto.

Passo então, e com a vossa licença, a responder à MCP:

Tirando a parte dos poemas (por menos já desafiei "grandes vultos" para duelos), tem toda a razão!

Arrumado que está este assunto, vamos a outro.

Os blogs são espaços de liberdade criativa. Penso que, sobre isso, estamos todos de acordo. Mas, e sem querer puxar demasiado a brasa à minha sardinha, penso que só quem não conhece o Pastilhas, pode pensar que os portugueses descobriram agora as vantagens da internet no que à escrita diz respeito.
Muitos dos blogs que são mais admirados-e com toda a legitimidade e justiça- começaram a germinar no Pastilhas.
Por isso gostava de convidar a blogosfera a passar por lá, mas com tempo e com olhos de ler. Para além de poderem ler o mestre MEC , podem também ler escritos dos vossos , quiçá, blogistas preferidos. Está lá tudo; é um mundo a descobrir por quem estiver interessado. E é à borla. Tanto as consultas como os tratamentos.

Ainda outra coisa.
Eu não sou de "intrigas" , mas diz que, amanhã, vamos descobrir a careca do Pipi !

E ainda outra coisa.
A Maria do Carmo Pereira desculpe, mas...tem mesmo a certeza de que não me acha graça mesmo nenhuma? nem um niquinho?...
Vou fazer uma última tentativa: vou , especialmente para si, estrear uma nova anedota.
É que insisto em, pelo menos, fazê-la sorrir! vamos lá:

O Capuchinho vermelho encontra o Lobo Mau na floresta. Diz o Lobo à Capuchinho:
- Capuchinho, vou-te comer uma coisa que nunca ninguém te comeu!...
E responde-lhe a Capuchinho:
-Olha, filho, só de for o cesto!...

então? nem um sorrisinho?...

Ana [6/27/2003 01:25:00 da tarde]