Crónicas Matinais

[ quinta-feira, julho 24, 2003 ]

 

Bom dia!


Não sei como está aí ( seja o onde for) o tempo, mas aqui está feio, cinzento, chuvoso e algo frescote. E pensar que estamos quase em Agosto....

Bom, sempre que me levanto com o nevoeiro a pairar sobre a minha cabeça fico algo angustiada. Não é que não goste de nevoeiro, pelo contrário; sou do Porto e sei como a neblina pode ser mágica. Mas a angústia cá fica.
De maneira que, quase sempre que a sinto, me lembro de certas histórias que vivi ou li.
E hoje lembrei-me de um romance -excepcional- de um escritor maior do Brasil ( as posições politico-ideológicas dos escritores que amo são-me totalmente indiferentes) ; lembrei-me do Angústia de Graciliano Ramos.
Gosto muito de todos os livros que li dele , mas este Angústia é o meu favorito.
Primeiro porque me agradam as viagens ao mundo interior obscuro dos seres humanos; depois porque a personagem principal- Luís da Silva- é o perfeito retrato da raiva, da angústia, da inveja, do ciúme e da vingança.
E porque me faz lembrar( todo o livro) um poema. E também me faz lembrar Dostoyevsky.
O livro fala de sonhos e de pesadelos; de ressentimentos profundos ; de enorme sofrimento e desespero. Da loucura como "justificação" para o crime.
De como o Amor, ou a falta dele, transforma o ser humano.

Raios me partam se este livro não é uma obra prima!

É um livro obrigatório.

E por falar em leituras : hoje vou começar a ler um autor que já deveria ter lido há dezenas de anos mas que nunca li . Lovecraft, Howard Philips Lovecraft.
Descobri na minha livraria preferida , aqui em Paris, a Shakespeare&co, uma edição em segunda mão dos " Contos Sobrenaturais". Brrrr
Lá vou eu sonhar com monstros, vampiros, espectros ...
Já vi vários filmes e séries de TV inspiradas mas "personagens" de Lovecraft, mas confesso que nunca bebi da fonte. Se amanhã estiver mais esquizo e misantropa do que o costume...a culpa é dele!

Também , se ficar mais esquizo, nem tem grande mal...assim posso degolar , sem grandes problemas morais, dois colegas espanhois que cá tenho a quem emprestei ( são um casal ) o meu "Studs Lonigan" de James Farrel e que os filhos de uma grande cabra me perderam!
Grrr

Depois farei aqui uma dissertação , tentando provar por A mais B que se pode emprestar tudo aos amigos e colegas- incluindo filhos, mulheres, homens, namorados e amantes- menos os nossos livros.

E depois também vos posso contar como vai a saga televisiva da Nile TV...
Diz que a Mila, afinal, também anda metida com o marido da Fhatima...a puta!

Ana [7/24/2003 11:39:00 da manhã]