Crónicas Matinais

[ quinta-feira, julho 17, 2003 ]

 

Bom dia!

Normalmente não falo sobre o Amor. Não só porque só raramente encontro as palavras certas na hora certa, mas também porque me falta o engenho e a arte. Mas sei que é o Amor que comanda a vida.
E é por isso que fico muito contente por estar "ligada" num novo blog- simpático, desempoeirado e poético, e que, ainda por cima, tem um "nome" belo: A Origem Do Amor. Muito Obrigada Migalhas!
[ O Migalhas também sugere este outro blog de lamber os beiços. E eu aprovo.]

Agora mudando de cena:

E então eu perguntei à colega ( francesa e de uma outra rádio ) que estava a trincar bolachas ao meu lado:
- Sabes que S.Tomé é uma ex-colónia portuguesa, não sabes?
E ela respondeu-me:
- Não! Não sabia! ...e já não é colónia portuguesa há muito tempo?
Sendo ela supostamente "especialista" em política africana , vi-me obrigada a responder :
- Não, há mais ou menos um mês; por isso é que está a acontecer este golpe de estado.
Muito gostava de saber como é que ela usou esta minha preciosa informação ...

Ainda outra peça:
Estou, temporariamente, hospedada no castelo de uma amiga. Nesse castelo, para além de muitos quartos, salas e casas-de-banho, há quatro satélites; pelo que tenho andado furiosamente a ver televisão ( não tenho televisão em casa , por opção, desde que deixei de fazer televisão; mas se apanho uma a jeito passo-me.) ; vejo tudo , mas aos bocadinhos, que aquilo tem para cima de mil canais .
Há dias deparei-me com a estação de televisão italiana "Gay TV". Vi uns minutinhos.
A apresentadora do programa em curso , durante uma "entrevista" a duas raparigas musculadas, bronzeadas e imberbes, resolveu tirar a camisa e pedir a uma delas uma massagem. Diz a potencial massagista:
- Ai, aqui, à frente de toda a gente? Não posso; a minha mãe pode estar a ver a emissão! ( riso histérico)
E diz a apresentadora:
- Não te estou a pedir para me chupares e lamberes (sic), só quero mesmo uma massagem, a tua mãe pode ficar descansada! ( mais risos histéricos, desta vez colectivos )

Tenho tantas saudades do tempo em que não havia televisão por satélite....

E ainda mais esta para acabar (por agora):

Vou, em breve, voltar ao Iraque. Enquanto espero pela aprovação do orçamento , resolvi contactar os iraquianos que me deram guarida durante a guerra .
Há dois meses essa família não gostava particularmente de ocidentais e tinha sérias reservas em relação à presença das tropas anglo-norte-americanas no Iraque, mesmo odiando de morte o tirano Saddam.
Ontem, em três minutos de conversa, o senhor Yussuf que fala ( falava? ) um inglês muito britânico, perguntou-me "What's Up?" duas vezes; disse "Fuck" quatro ; e referiu-se aos guerrilheiros pro-Saddam como "Fucking assholes" mal-agradecidos. Não pude deixar de sorrir. Não só porque nunca imaginei que um muçulmano xiita pudesse falar assim com uma mulher, e ainda por cima uma ocidental , mas também porque -finalmente- o "vi" a exercer um direito ao qual nunca tinha tido acesso: a liberdade!




Ana [7/17/2003 12:04:00 da tarde]