Crónicas Matinais

[ terça-feira, setembro 23, 2003 ]

 

Atassalha-me aqui a ver se eu deixo...

Estava eu a deliciar-me com o Adagietto da 5ª sinfonia de Gustav Mahler; a rever mentalmente a " Morte em Veneza" de Luchino Visconti...e toca o telefone.
Era a minha mãe.
É que hoje a minha avó materna faz 90 anos e a minha mãe queria lembrar-me , como se eu me fosse esquecer !!!
De modo que toca então o telefone e era a minha mãe.
Falamos um bocado, das coisas do costume; como estás; eu estou bem e a mãe ; etc.
Diz que a festa da minha avó vai ser de arromba e eu fico feliz que assim seja.
Liguei à minha avó.
Agradeceu os parabéns, explicou-me o que anda a preparar para o ano novo ( na noite de 26 para 27 começa Rosh Hashanah , o ano novo judaico; lá para amanhã , ou depois, falarei sobre isso.) ; e disse-me que já não se sente tão sozinha.Fiquei feliz.
[É que o meu avô materno morreu vai fazer um ano em Dezembro; no Natal.]
E então a minha avó diz-me que já não se sente tão só e diz que tem uma anedota para me contar, uma que aposta eu não conheço :

-Um rapaz português apaixona-se por uma moça brasileira e casa com ela.
Na noite de núpcias, já despidos, diz ela ao tuga:
-Amor, vem, me mata com esse negócio de fazer xixi...
E então ele dá-lhe com o penico de loiça na cabeça...

( ah ah ah )

Eu: Avó... quem lhe contou essa anedota...fui eu!
Avó adorada: Mentira. A menina nunca me conta anedotas!
Eu: Ai ! Que grande mentira ; eu conto-lhe anedotas sempre, sempre!
Avó adorada: Não seja mal-educada! Eu não minto! A menina nunca me contou anedotas e, além disso, esta a ser mal educada ; isso não se diz à avó!
Eu: Desculpe, avó adorada, mas a avó também me chamou mentirosa e, além disso, quando me trata por você é porque está a querer discutir ...
Avó adorada: Eu não te estou a tratar por você...
Eu: Ahhhh! Ó avó que lata!Então o " a menina" isto a "menina "aquilo?
Avó adorada: Ana, estás a irritar-me. Más criações não te aturo...nem mentiras...
Eu: Avó!!!! Ai, ai ...não me diga isso; eu não estou a ser mal educada e não menti; a anedota fui eu que...
Avó adorada: Mentirosa! Não foi nada...
Eu: Grrrr....avó...
Avó adorada: Não me grunhas aos ouvidos! Vamos mudar de assunto; além disso a anedota é uma merda!
Eu: Avó!!!
Avó adorada: Olha, tenho mais que fazer; vou arranjar o cabelo e a Maria de Lurdes ( a dama de companhia ) está-me a chamar; beijinhos e até mais logo!...
Eu: A avó é impossível, às vezes!
Avó adorada: Olha quem fala! Sabes que mais? -atassalha-me aqui a ver se eu deixo!...

E desliga-me o telefone no nariz.

Sou ou não sou a neta mais sortuda do mundo? ;)
Parabéns, querida avó.
E agora que o template cá desta coisa foi mudado, por sua causa, há-de ler isto e rir-se...da sua figura! hihi
E, só lhe perdoo...porque me telefonou , dez minutos depois, a rir-se muito e a dizer-me que me ama muito e que se diverte sempre muito comigo!
Consigo , avó,é tudo : muito, muito, muito,muito....

Muitos Parabéns!




Ana [9/23/2003 02:02:00 da tarde]