Crónicas Matinais

[ terça-feira, setembro 16, 2003 ]

 

Ora bem.

Como tenho andado sem grande tempo ,e sem grande imaginação, tenho vindo cá menos.
Há bocado, estava eu a limar as unhas e mascar chicletes, e pensei: «ó Ana, tens de arranjar maneira de escrever alguma coisa no blog, mas assim uma coisa leve, que andas a abusar de coisas sérias.»

De maneira que, graças ao Padre Amaro, já sei sobre o que escrever.

Miss Europa

É verdade. Foi a semana passada o certame...aqui, nos arredores de Paris.
À traição, levaram-me a ver aquilo. Em directo...
Cheguei lá, estava tudo doido: os homens porque havia mulheres despidas por todos os lados; as mulheres porque um dos elementos do juri era o Ricky Martin. Outro era o Ramazzotti; o estrábico das cantigas italianas.
Sentei-me. Mas preferi trocar olhares trocistas com os outros dois homens, também elementos do júri, o Jean Alési ( que um dia me disse que eu guio mal , e levou uma palmada na mona que eu estava mal disposta nesse dia ) ; e o Cédric Pioline ( que um dia me disse que eu jogava ténis como um tetraplégico e eu não lhe dei uma palmada na mona...porque é verdade! ).

Começou a festa : A TF1 e a Endemol , que organizaram o evento, puseram no palco um dinossauro e uma mulher bonita. Jean-Pierre Foucault e a Estelle Lefébure ( que, por acaso, até gosto dela; é uma senhora limpinha e bem educada que é ...) .


Eu, e mais a senhora da limpeza, eramos as únicas mulheres presentes no recinto, sem decotes até aos tornozelos. Deve ter sido por isso que me senti como um peixe fora da água.
Depois começaram os desfiles.
36 misses. Cada uma -desculpem lá mas é verdade- pior do que a outra.
A alemã e a grega, por exemplo, julgo já as ter visto em filmes XXX...
A polaca- que até levou dois prémios!!!- fez-me tremer de medo, tal era a cara de parva que, coitada, tinha de pavonear na passerelle; A da Sérvia e Montenegro , olhava para o público, e para o júri, com aqueles olhinhos que dizem: come-me, come-me...
Bem, e da russa nem posso falar porque a minha educação não permite.

Aos meus olhos, críticos é certo, escapavam a portuguesa ( sem favoritismos, a Iva é giríssima, e até ficou entre as 12 finalistas) , a israelita , a francesa, e mais uma outra que nunca se ria e que, talvez por isso, despertou a minha total simpatia; não me lembro de onde ela é, mas acho que é de leste, mas em moreno.

Depois foi ver os vídeos, e vê-las a mostrar as carnes em vestidos de noite, de passeio e fatos de banho.
O costume.
Como não se podia fumar -era em directo- eu andava lá e cá, i.e., tinha de me desalapar para me ir encher de nicotina lá para fora.
Fui, a primeira vez, quando senti que o Ricky Martin estava a olhar para mim.
Isso é uma coisa que enerva uma mulher! E, ainda por cima, apesar de eu ter tomado banho...estava sem decote!
De maneira que lá fui fumar o cigarro. Voltei para dentro da sala, quando as raparigas se mostravam todas muito amigas em grupo.
Senti logo vontade de fumar outro...mas contive-me.
Alapei-me de novo, peguei no telemóvel e pus-me, sem som, a jogar.
Aquilo depois continuou, umas pessoas foram lá cantar umas modinhas, entre elas o Ricky Martin, e depois intervalo.
Eu, depois de jogar, peguei numa folha de papel e escrevi os números das cabeças em jogo; as minhas preferidas.
Dei a folha ao Pioline , que, coitado, se desatou a rir, o que-é verdade- ficou mal na televisão. Paciência.
Entretanto, de 36 cabeças de ...miss, ficam só 12 ( a nossa Iva incluída )e aquilo começa a aquecer. Eu, claro, fui fumar mais um cigarro.
Estava eu a fazer bolinhas de fumo, metida nos meus pensamentos , quando se aprochega o Ricky Martin. Tinha ido, mais um guarda costas , fazer chi-chi.
Eu, fingida como todas as mulheres, fiz de conta que nem sequer o estava a ver ...
Mas ele, de sangue latino, foi falar-me. Como ele fala francês, como uma vaca espanhola, falamos em castelhano, que eu tinha de lhe mostrar que não era nenhuma miss...não é?
De modo que falei-lhe 5 minutos, recordamos uma outra vez que nos tinhamos cruzado numa estância balnear de luxo, e ele convidou-me para a festa que se ia realizar a seguir.
Eu disse-lhe logo que sim, que ia, que não estava ali para outra coisa e assim...
Voltamos , eu sozinha, ele com o guarda-costas, para dentro.
Depois das 12, as misses passaram apenas a 5...e aquilo começou realmente a enervar-me!!

É que escolheram uma mais-ou-menos...e mais a 4 piores!!!!
Estive mesmo para saltar à Hélène Ségara, a presidente do júri, e pedir explicações!
Camafeus!!! A sério.
Depois lá ganhou a Susana ( mas dito e escrito à moda da Hungria) , vá lá...era a menos má; as damas de horror, digo, honor, foram a espanhola, a polaca, a da Sérbia e Montenegro e a da Eslováquia. Todas uma boa merda, diga-se...

Ou melhor, digo eu. E digo-o porque , valha-me D-us, havia lá muitas mais bonitas e quase inteligentes! A sério que havia!
Diz que uma até era bilingue e tudo!

O que valeu foi que, a seguir, houve a tal festa.
Foi tão gira, tão gira, tão gira...que , depois de meia hora, vim-me embora.
Se o Ricky Martin ficou chateado comigo...o problema é dele!

E pronto.

Amanhã já volto com o meu QI todo...boa?





Ana [9/16/2003 10:38:00 da manhã]