Crónicas Matinais

[ quarta-feira, setembro 24, 2003 ]

 

Reparos à blogosfera ou a Liberdade de Expressão


Gosto muito de ler, por exemplo, o Dicionário do Diabo do excelente Pedro Mexia.
Aprecio a inteligência aliada à juventude; o talento da escrita e da poesia.
Mas dá cabo de mim , sinceramente, quando ele -e outros, é certo- se apropria de um tema.
Passo a explicar:
A certa altura, no seu blog, escreve o Pedro Mexia :« Um dos meus orgulhos nos blogs é ter lançado - juntamente com os meus colegas da Coluna Infame - o nome de Nelson Rodrigues.»

Não fosse a afirmação tão engraçada, eu ( que adoro rir) , em vez de rir , teria chorado!

Eu sei que o Pedro Mexia, tal como ele explica, não tem tempo, nem paciência, para responder a todos os que a ele se dirigem, mas eu, que sou teimosa e, quiçá, acabei de lançar, nos blogs, a técnica das perguntas a quem não se conhece , queria perguntar ao Pedro o que é que ele quer dizer com « lançar Nelson Rodrigues».

É que, a não ser que eu esteja a pensar num Nelson Rodrigues diferente , o Nelson que eu conheço ,desde menina e moça, foi lançado há muitos, muitos anos.
Tantos, que eu nem sequer era nascida; e eu já não vou para nova...

Eu penso que o que o Pedro Mexia queria significar, corrija-me se eu estiver enganada, é que - pelo que lhe parece, O Pedro e os seus companheiros "infames" foram, pelo menos que o Pedro tenha dado conta, os primeiros a citar esse grande jornalista e teatrólogo brasileiro, que dá pelo nome de Nelson Rodrigues, nos últimos tempos, na blogosfera portuguesa.

Se assim é , dou-lhe ,de boamente, a medalha de ouro na modalidade de lançamento.
Se não é assim ...peço-lhe, com humildade, que faça o seguinte exercício :
Imagine que, depois de um bom banhinho e de um cafezinho quentinho,e quem diz café, diz chá; abre o seu computador , percorre os seus blogs de consulta diária e, a páginas tantas, e por curiosidade , segue um link ,colocado num desses blogs, que o leva a um blog desconhecido, que , por exemplo, é este meu.
O meu amigo lê aqui as minhas larachas, esboça um sorriso se é maré disso, ou franze o sobrolho se for o que lhe se apresenta fazer no momento.
Mas, como é curioso, continua a ler e, de repente, lê uma coisa deste género : ( isto é a gente a imaginar, claro!)
« Uma das coisas que mais me orgulho no blog, é ter apresentado a todos vós , burros do caraças, que usais a cabeça só para colocar chapéus, seus palermas; Heidegger e Schmitt.O Heideggerzinho e o Schmittezinho, que eu trato por tu (...) »; e por aí fora.

Diga-me lá: se o Pedro já se tivesse fartado de falar desses queridos; de fazer papers a propósito; de os estudar até à exaustão; de falar neles no seu blog, e em outros sítios que possa eventualmente frequentar...não lhe dava vontade de fazer um post, assim como este que eu estou a fazer, no seu blog?

É que a questão, excelso Pedro, não é na comparação das pilas, i.e., saber quem primeiro falou, ou deixou de falar, de A, B ou C; a questão é a patetice de o afirmar .
Se calhar , uma patetice como esta minha agora que estou a escrever, é certo.
Mas, que diabo!, há coisas que irritam um gajo!...e quem diz gajo diz gaja!





Ana [9/24/2003 11:51:00 da manhã]