Crónicas Matinais

[ terça-feira, novembro 18, 2003 ]

 

Pois. Anda uma cidadã cheia de preocupações, dúvidas e decisões difíceis para tomar e -qual luz ao fundo do túnel- ouve os discos pedidos na Rádio Alfa.
E tudo parece mais fácil !


«E agora vamos acolher mais uma ouvinte. Com quem falo?»
« Sónia , ( diz Soniá , à francesa ) de Paris 13»
«Bem vinda , Sónia, agora tem de dizer a frase...»
« Os preços bons...»
«Não! As melhores marcas de Portugal, aos melhores preços...»
«Pois, é isso.»
«Não; tem de repetir comigo. As melhores marcas de Portugal , aos melhores preços...»
«Pois, é essa a frase. Queria então dedicar...»
«Não!! Tem de dizer a frase! »
«Mas o senhor já disse! eu queria era dedicar a música...»
«Isto tem regras ( já enervado ) , é o ouvinte que diz a frase, não eu ( risinho nervoso ) ....»
« Os preços bons...»
«Não! Não! Não! Repita comigo, Sónia: as melhores marcas de Portugal...»
«E então eu dedico a música à minha...»
«Não! Já lhe disse que tem de dizer a frase!!! »
«Mas eu não sei a frase! Eu só quero dedicar a música à minha amiga...
«Mas tem de dizer a frase! é a regra dos discos pedidos; se não sabe, repita comigo: as melhores marcas de Portugal, aos melhores preços, só nos estabelecimentos Mariano!»
«Exacto. Portanto , dedico a música à minha amiga Sandrá ( à francesa ) ....
«NÃO!!!! TEM DE DIZER A FRASE!»
«Mas o senhor já disse a frase!»
«MAS É VOCÊ QUE TEM DE DIZER A FRASE!»
« ( Também já a elevar a voz ) MAS EU NÃO SEI O RAIO DA FRASE!»
«MAS EU ESTOU-LHE A DIZER PARA REPETIR A FRASE COMIGO ( pausa) Repita comigo, por favor: as melhores marcas de Portugal ....
«É no Mariano, pronto.»
«NÃO É NADA NO MARIANO, TEM DE DIZER A FRASE TODA!!!!»
«O SENHOR É QUE DISSE QUE ERA NO MARIANO, NÃO FUI EU, EU SÓ REPETI!»
« A SANDRA TEM DE DIZER A FRASE TODA, PERCEBE?»
«OLHE, EU NÃO ME CHAMO SANDRA, A SANDRA É A MINHA AMIGA, EU SOU A SÓNIA ( já à portuguesa )»
«Sónia, Sónia, estamos a perder tempo , repita a frase, por favor...»
« O senhor não me deixa dedicar a música! »
«( suspiro ) Quer dedicar a música primeiro e dizer a frase depois?»
«Eu acho que é melhor, se o senhor deixar....»
«Deixo, faça a dedicatória então .»
« Donc, é para dedicar a música dos Anjos, à minha amiga Sandra,e aos meus pais e irmãos, e à madame Souto , marido e filhos, e a vocês todos do Rádio Alfa!»
«Muito obrigado, pela parte que me toca, e agora DIGA-ME A FRASE, FAZ FAVOR!»
«Isso da frase...eu não sei a frase !»
«REPITA A FRASE COMIGO, RE-PI-TA, PERCEBEU? EU DIGO E VOCÊ RE-PE-TE! AS MELHORES MARCAS DE ...»
« Eu posso chamar a minha mãe e ela diz a frase por mim? ela já está mais habituada!»
«Bom, isso é capaz de ser melhor, apesar de não ser costume...pode ser, mas rápido que estamos a perder tempo e há outros ouvintes à espera!»
« (barulho da Sónia a chamar a mãe) »
« ( Mãe da Sónia) Boa noite, sr.Carlos Manuel ! »
« Muito boa noite, pode dizer-me a frase dos discos pedidos?»
«E posso dedicar também uma música? »
«( suspiro ; falando desalentado) Pode, mas diga-me a frase primeiro , se faz favor.»
«Ah...eu não sei a frase de cor...»
«EU DIGO E VOCÊ REPETE, SIM?»
«Sim, ora diga lá então .»
«As melhores marcas de Portugal, aos melhores preços...»
«É nos Mariano! ( com tom de orgulho) »
«Não! Tem de dizer a frase toda!!!! A FRASE TODA! »
«Calma, sr. Carlos Manuel. Não é preciso berrar! »
«EU NÃO ( pausa) Eu não estou a berrar, só quero que me diga a frase!»
« ( Mãe com voz de ofendida) O Rádio Alfa já não é o que era! antes a gente telefonava praí e... pi pi pi pi ( som de ligação interrompida ) »
«Bom , parece que a ligação caiu. Vamos então ouvir os Anjos, com a canção "Só para Ti" ...»

[ Toca a música dos Anjos , momento que eu aproveitei para limpar as lágrimas que me corriam .]

«E vamos agora atender mais um ouvinte. Está lá? »
«Boa noite, sr.Carlos Manuel.»
«Boa noite, com quem falo?»
«Com Alexandrina Dias, de Paris 15, como já lhe tinha dito...»
«Pois. E que música é que quer ouvir ?»
«Eu queria ouvir as 24 rosas, mas como me disse que não tinha o disco a jeito, vamos então ouvir a Maria da Fé...não é?»
«É ( suspirado) , vamos ouvir um fado da Maria da Fé. Isto hoje não está a correr muito bem ( voz embargada). Srª Alexandrina , será que me pode dizer a frase?»
«Posso, olhe...ó sr. Carlos Manuel ...(e com a voz muito meiguinha ) se quiser até posso dizer a frase duas vezes...por causa daquelas senhoras que não a disseram! »

Eu, aqui, deixei de ouvir ; e, pondo em risco a minha integridade física, atirei-me para o chão a rir!.

Coitado do sr.Carlos Manuel! Olha, caro patrício, não sei se me estás a ler, mas se estiveres...deixa-me dizer-te que, se quiseres, se quiseres sofrer menos...vais tu para o Iraque, e eu fico-te a fazer os discos pedidos uns dias. Porque é nestas alturas que me sinto mais solidária!
Além disso , e em tendo comigo morfina, sou muito resistente à dor!




Ana [11/18/2003 10:45:00 da manhã]