Crónicas Matinais

[ sexta-feira, abril 30, 2004 ]

 

Sinceramente: se a personagem fosse uma loira vaporosa, cuja quantidade de maquilhagem fosse inversamente proporcional à quantidade de massa cinzenta ,eu até que entendia. Mas não.
O Francisco Louçã não só não é uma loira , como também não se maquilha. E tem alguma massa cinzenta, isso, por muito que me custe ,tenho de admitir.
De maneira que não consigo entender –nunca- as obsessões e declarações do senhor Louçã.
Como é possível bater sempre nas mesmas teclas? Dizer sempre as mesmas coisas; fazer sempre as mesmas acusações? Fala-se de X , de P, de T ou de O...e o sôr Louçã contorna as questões , fazendo as mesmas perguntas e acusações. Depois ainda chamam «cassete» ao outro...
Hoje , no debate mensal na AR , já se sabe que o tema principal é o alargamento europeu. E também é natural que a oposição tencione desviar a discussão, a espaços, para outras questões, mais sociais, económicas ou «políticas».
Mas, caramba!
Ouvi , há bocadito,mas as declarações são de ontem à noite, o sôr Louçã , com o seu discurso PREC do costume. Disse ele qualquer coisa como :« O governo vai mascando pastilha elástica enquanto em Portugal há meio milhão de desempregados. Mais do que o alargamento é preciso discutir as questões sociais e a posição portuguesa em relação à guerra no Iraque.»
Não é que seja descabido, mas já cheira mal.
O sôr Louçã faz-me lembrar um colega de trabalho que tive em tempos ( e não me venham chatear com a expressão: colega, porque eu sou pela liberdade e uso as expressões que quiser ! ;) ) e que, fosse qual fosse o assunto discutido, acabava sempre as suas frases dizendo: « pois, pois, isso é tudo muito importante , mas o problema é que ainda ninguém conseguiu explicar quem nasceu primeiro: se o ovo se a galinha.»
Já não há pachorra, pá!


Entretanto os U2 estão em Portugal (para tirar fotografias ) e ontem foram jantar ao « Bica do Sapato».

Adenda( depois de o ouvir no debate , agorinha mesmo, no debate na AR ): Já sobre o sôr Carlos Carvalhas...eu nem sequer quero falar. Prometi à minha avó que não voltava a utilizar a palavra palhaço , tão cedo, aqui no blog.

Ana [4/30/2004 11:50:00 da manhã]