Crónicas Matinais

[ quinta-feira, maio 27, 2004 ]

 

Porque é que eu amo o futebol


Deixem-me dizer que vos escrevo com lágrimas nos olhos.Porque estou feliz.
E porque estou a ouvir, na Antena 1, a repetição dos golos; os sons da festa; as declarações emocionadas, com ou sem sotaque. E tudo isto me comove.
E chora-se de alegria. Fica-se sem voz. Isto, meus amigos, chama-se Democracia.
Irritam-me, mas entendo, os que não gostam de futebol. Os que acham que se dá demasiada importância a um jogo onde andam uns manfios a correr atrás de uma bola e que recebem rios de dinheiro por isso. E se digo que os entendo é porque sei que, de facto, há motivos mais importantes para nos comovermos. Mas o que é facto é que quem ama o futebol explode de alegria quando a sua equipa ganha. O que é facto é que se há sensação verdadeiramente importante é a sensação de vitória. O facto de um clube de futebol unir ricos, pobres, remediados, plebe, realeza, políticos, desempregados, altos, baixos, gordos, magros, inteligentes, estúpidos, loiros, morenos, ruivos, homens, mulheres e crianças. Não há classes sociais, nem religiosas, nem políticas, na vitória. É a democracia. É a alegria. É o coração a explodir, as lágrimas a cair, a pulsação acelarada. É sentir fortemente que estamos vivos; que há um elo sempre forte que nos une a algo demasiado grande para ser só nosso.Que nos une a tanta gente.
Que faz com que, por hora e meia, se esqueçam as más palavras, a falta de dinheiro, de amor, de solidariedade; os males do mundo, os nossos males. E que depois, com a vitória confirmada, nos faz querer abraçar o mundo, todo, com toda a gente dentro; gente que festeja, que ri, que chora, que compreende. Gente que também esquece os males do mundo, os seus próprios males, durante hora e meia.Com sorte durante mais uma noite e uma manhã.Durante uns dias...enquanto a realidade , a nossa realidade pessoal, não toma posse e nos faz voltar à terra. Voltar às tristezas, às angustias, às contas por pagar, às incertezas, às chatices; ao desamor; à solidão.
Mas vale a pena, meu D-us, vale a pena!
Para muitos essa- esta- alegria partilhada é a única que se conhece.
E é por isso que eu amo o futebol.


Ana [5/27/2004 09:58:00 da manhã]