Crónicas Matinais

[ segunda-feira, maio 10, 2004 ]

 

Recebi alguns e-mails a propósito do meu último post.
Diziam todos, grosso modo, que eu passava a ideia de estar , de alguma forma, a defender e, o que é pior, a justificar, as sevícias e as humilhações aos prisioneiros iraquianos.
A minha primeira reacção foi de incredulidade e, confesso, alguma raiva.
Mas, mais calma, reli o que escrevi. E tenho de admitir que posso ter passado essa ideia. É um post mal escrito e dúbio.
Queria então dizer que acho vergonhoso, sem qualquer mas, o que se passou . Uma vergonha. Desumano.

O que escrevi a seguir, de forma leve e mal explicada, pretende apenas significar que , de facto, não há guerras limpas e que atropelos aos direitos humanos acontecem em todos os palcos de guerra. Não é uma justificação , é a constatação de um facto.
Deixei-me levar pela minha raiva em relação à hipocrisia , nomeadamente aqui em França, das análises ao que aconteceu. Uma hipocrisia, infelizmente reinante em várias frentes, que tem o descaramento de , para marcar pontos políticos, apontar o dedo aos americanos ( e aos ingleses ) todos. Como se a tortura e o atropelo aos direitos humanos fosse invenção americana .
É essa hipocricia que me tira do sério.
Aqui em França, por exemplo, só ao fim de 40 anos, se falou das sevícias e humilhações aos prisioneiros argelinos que o exército francês cometeu durante a guerra na Argélia. 40 anos. Fotografias iguais ; a mesma crueldade. Que ficou escondida quase meio-século.

Em contrapartida, e num país verdadeiramente democrático , os atrozes factos demoraram apenas uma semana a serem mostrados. Não pela imprensa estrangeira, mas pela própria imprensa americana.

Reparem : são duas questões diferentes:

- Nada nem ninguém pode justificar o que esses soldados americanos e britânicos fizeram. É desumano ; uma vergonha para a Democracia. Para os valores que defendemos e pelos quais lutamos .

- Só que não aceito que se usem acontecimentos tão terríveis para fazer baixa política e demagogia. Tira-me do sério a leviandade das análises que, sinceramente, me parecem ainda mais desrespeitosas para com os prisioneiros iraquianos mal tratados.

Felizmente a imprensa americana é verdadeiramente livre, tal como o povo americano, e não tivemos de esperar 40 anos para conhecer essas actitudes terríveis e vergonhosas . Não é preciso esperar 40 anos para pedir desculpas por elas ; fazer pagar os autores e impedir que essas práticas continuem.

Era isto que queria ter dito na sexta-feira.
Mas acabei por misturar os alhos com os bugalhos...
Desculpem.

Ana [5/10/2004 10:18:00 da manhã]