Crónicas Matinais

[ segunda-feira, julho 12, 2004 ]

 

Demokratía Rive Gauche

Quando escrevi ,aqui no blog, que tinha a absoluta certeza do bom senso do Presidente da República , ou seja, que obviamente Jorge Sampaio não iria dissolver a Assembleia e convocar eleições antecipadas, recebi alguns e-mails que diziam, grosso modo, que eu estava parva, ou que o sou simplesmente.
Eu sei que o que vou dizer a seguir vos pode chocar e, quiçá, provocar más recordações, mas é a vida. Vamos lá:
Eu posso , o mais das vezes, utilizar um tom levezinho aqui no blog; "comentar" políticas ou actos políticos às três pancadas, mudar num ápice de um registo sério para um outro mais gozão.
Faz parte de mim; a dupla personalidade, se quiserem. Mas, falando muito a sério, raramente me engano e (quase) nunca tenho dúvidas. [Hihi...]

Agora o que me choca é o seguinte: anda para aí muito boa gente a encher a boca com palavras tipo democracia e liberdade , até se babam ao debitar os vocábulos , tal é o entusiasmo...e, depois, vai-se a ver, e nem sequer sabem o que essas palavras querem dizer.
Sim, porque só isso explica que, agora, essas mesmas entusiasmadas pessoas, dêem o dito pelo não dito e vociferem contra o mais elementar acto de democracia e liberdade.
Ou seja, a democracia, para as alminhas supracitadas, tem um significado alternativo; aliás os dicionários dessas alminhas são diferentes, uma espécie de versão à la carte .
Por mero acaso tive acesso a um exemplar, jeitoso, capa dura ; encarnado com pequenas foices, martelos e rolos da massa em tons dourados.
Abro-o e....cá está: «democracia , do grego demokratía; s.f.; sistema político fundamentado no princípio de que a autoridade emana do povo (conjunto de cidadãos que pensam como nós; que não são autorizados a pensar de forma diferente da nossa ) e é exercida por ele ( nós, nós, nós ! ) ao investir o poder soberano através de eleições periódicas livres ( salvo eleições que ditem resultados que não nos agradem ), e no princípio da distribuição equitativa do poder ( equitativa quer dizer todos os lugares são para nós e para quem pensa como nós ); país em que existe um governo democrático ( só nós sabemos o que é a democracia, por isso apenas um dos nossos pode governar ); governo da maioria sendo que a maioria só pode ser nossa e dos nossos ; sociedade que garante a liberdade de associação ( mas apenas associações criadas por nós ) e de expressão ( expressões nossas , escolhidas por nós ; de preferência apoiadas em novas tecnologias, como por exemplo , as sms ) e na qual não existem distinções ou privilégios de classe hereditários ou arbitrários ( a não ser os decididos por nós ).»

Está tudo explicado não está?

Que coerência , senhores! Que bela imagem da democracia!
O que eu me ri, por exemplo ao espreitar os Barnabés, ao "ler" o post em que um senhor faz um acto de contrição , dizendo que está arrependido por já ter apoiado o PR e por nunca ter apoiado a Engª Pintassilgo.
Elementar : um está vivo mas tem a mania de os contrariar ; a outra está ( infelizmente ) morta mas até defendeu o seu ponto de vista. Pois...sentem-se algo desemparados.

Eu cá não sei, mas cheira-me que , se um dia, um violento ataque de bichas loucas, i.e.,lombrigas, visar o Michael Moore ou se o joanete do Noam Chomsky o incapacitar de debitar «ideias» , os nossos «democratas à la carte » são capazes de se imolar , ou então emigrar para a Sibéria ou o caraças!...
Eu, que sou democrata « à moda antiga » , que sou pelo respeito pelo adversário e não sou troca-tintas, desejo-lhes , desde já , uma boa viagem! E para breve de preferência.

Sinto que o texto ficava jeitosinho se acabasse aqui. Mas ainda acrescento o seguinte:
É porco. É nojento ver como o narcisismo e o mau carácter de algumas aves raras da «oposição» se sobrepõem ao que realmente conta : os interesses de Portugal e dos portugueses.
Afirmar : « Sampaio já não é o meu presidente!» porque o Presidente da República tomou uma atitude consciente mas contrária aos interesses umbiguistas das aves raras da «oposição» é a maior prova de totalitarismo e fascismo que alguma vez vi.
Sampaio é socialista e não deixa de o ser por pôr acima das suas ideologias políticas os interesses do país.Ele é o presidente de todos os portugueses, percebem? Não só dos socialistas, ou, vá lá, dos da esquerda. Compreendem? De todos. O país primeiro é o lema.
Merece o respeito de todos, penso eu, também e especialmente por isso.


Para terminar: Raramente entro na gasta dicotomia Esquerda/ Direita. Mas, a ver pelo circo, a ver pelas reacções atolambadas e histéricas de certos esquerdistas da nossa praça , sou obrigada a reconhecer a evidência:

Em termos de Democracia,e não só, a direita está a anos luz da esquerda.
E sinto-me cada vez mais feliz por ter sabido escolher , na altura certa, o lado certo.

Disse.

Ana [7/12/2004 12:58:00 da tarde]