Crónicas Matinais

[ segunda-feira, julho 12, 2004 ]

 

A insustentável leveza dos factos

Na sexta feira passada uma jovem mãe, de 23 anos, entrou num comboio da linha B do RER ( comboio regional ) parisiense com o seu bébé de 3 meses .
Ficou perto da porta para poder vigiar o carrinho de bébé onde transportava o seu filho.
Minutos depois , 6 jovens, armados com armas brancas, entram na carruagem e assaltam-na.
Quando lhe abrem a carteira, onde encontram 200 euros, descobrem, graças aos documentos, que a jovem senhora mora no bairro 6 de Paris. Um bairro "endinheirado" como por cá é conhecido.
Os filhos da puta que a assaltam pensam: « olha, esta vive em Paris 6, é rica, portanto só pode ser judia».
E então um assalto transforma-se numa agressão antisemita. Rasgam as roupas da senhora; cortam-lhe o cabelo e desenham-lhe 3 cruzes suásticas na barriga.
Antes de deixarem o comboio ainda viram o carrinho deitando o bébé ao chão.

A jovem mãe não é judia.
Na carruagem seguiam cerca de 20 passageiros e ninguém mexeu um dedo sequer para a defender ou simplesmente ajudar.

Pensem nisto.

Ana [7/12/2004 03:19:00 da tarde]