Crónicas Matinais

[ terça-feira, outubro 12, 2004 ]

 

Até sempre,Sabino!



«O Grande Mentecapto» é o título do primeiro livro que li de Fernando Sabino.
Fernando Sabino é um escritor brasileiro que morreu ontem aos 80 anos. Se fosse vivo, hoje faria 81.
Tenho a certeza que o Gávea vos dirá mais, e melhor, sobre ele. Mas também quero dizer algumas coisitas.
Sabino, escritor, jornalista e editor , escreveu muito. Contos, novelas, crónicas, romances. E, como quase todos os bons homens de letras brasileiros, também escreveu muito sobre futebol.
Enfim. O primeiro livro que li dele, e que me fez procurar outros livros e contos dele, foi justamente « O Grande Mentecapto».
É um livro que, ainda hoje, me apaixona. Por tem (quase) tudo lá dentro : um Dom Quixote : Viramundo; uma Dulcineia: Marília. E tem Minas gerais , esse microcosmos que tanto dá, deu e dará à literatura. Mas tem mais: tem uma espécie de elogio da loucura e uma homenagem aos puros. Aos homens mais humildes, que de tão pequenos se tornam grandes.E depois tem os sacrifícios, as injustiças e o sofrimento. E muitas caricaturas.
Admito que é um livro , no fundo, pessimista. Porque no fim somos levados a pensar que o mundo é cão; que estamos rodeados de filhos da puta e que mais vale estar só que mal acompanhado.
Numa palavra: é um livro sobre a solidão. A conclusão é minha, mas pode haver outras.

Gosto muito de ler Fernando Sabino. Vou gostar sempre.

Ana [10/12/2004 10:01:00 da manhã]