Crónicas Matinais

[ terça-feira, fevereiro 15, 2005 ]

 

É só para dizer que não sei dizer nada sobre a Irmã Lúcia

Andei a dar uma voltinha pelos blogs e descobri -- não sem espanto! -- que Portugal está cheio de especialistas em Carmelitas Descalças. Especialmente de especialistas na vertente : Vida e Obra da Irmã Lúcia.
Nunca pensei. A sério.
Sabem tudo, tudo.
Acho que se andam a perder grandes talentos. Desde que o jornal Público inaugurou o estilo eu-é-que-sei-o-que-tu-pensas não tenho parado de me surpreender.
Descobri, por exemplo, que a velha Irmã Vidente esteve este tempo todo em Guantanamo.Sem direitos, liberdades ou garantias. Também descobri que, afinal, era uma perigosa enviada do capeta, que mudava os relatos das suas supostas visões e conversas místicas de acordo com a força do vento.Descobri também que tinha um computador e usava-o [ esta parte é mesmo verdade ].
Descobri também que quem se sentiu triste com a sua morte é um falsário interesseiro.
Porque a fé - já se sabe - é uma perigosa engenhoca fascista .

Para ser sincera a minha maior descoberta foi esta: a maioria das pessoas que escreveu sobre a Irmã Lúcia, ou , grosso modo, sobre fé, fê-lo por "obrigação".E às cegas.
Porque, dita a moda, que se deve ter uma opinião sobre tudo, ou corre-se o risco de não ter matéria para engordar o blog. A actualidade é que é o ópio do povo, pázinhos.

Eu não sei dizer nada sobre a irmã Lúcia. A não ser que era crente, devota de Maria , baixinha , usava óculos de massa preta e tinha pelos no queixo. Nunca conversei com ela ; nunca debatemos dogmas, nem da religião dela, nem da minha.Ou seja :não a conhecia de lado nenhum. Nem queria.

No entanto...o primeiro cabeça de abóbora que se atrever a gozar, ou substimar, à minha frente, a fé de quem venerava e respeitava a senhora leva na corneta.Ai leva.

Puta que pariu! Que tempo este em que todos têm a mania que são o Nuno Rogeiro...

Ana [2/15/2005 02:53:00 da tarde]